terça-feira, 8 de abril de 2008

A caixa de correio electrónico do nosso blog tem sido invadida, nas últimas semanas, por participações muito criativas de alunos do primeiro ciclo. Depois do João Pereira do Entroncamento (de quem já recebemos mais um conto) seguiram-se inúmeras contribuições de alunos de diferentes escolas do nosso agrupamento. O Cata-Letras agradece mais uma vez o interesse e o entusiasmo manifestados, com a promessa de divulgação dos vossos trabalhos. Desta vez, escolhemos uma história enviada pela Jéssica, aluna da EB1 da Arrifana, que fala de uma relação especial entre um feiticeiro e uma bruxa:

O Feiticeiro

Há muitos anos atrás, numa floresta misteriosa, vivia um feiticeiro com um aspecto muito esquisito. Usava uma capa negra e uns sapatos muito compridos e bicudos. A sua cara era comprida e na ponta do nariz tinha uma grande verruga que o incomodava quando tinha de usar os seus pequenos óculos redondos.
A sua casa era assustadora, tinha muitas teias de aranha e tinha um enorme quadro com a sua família.
Num dia de sol e sem nuvens o feiticeiro foi dar uma volta pela floresta. Quando chegou à floresta sombria encontrou uma casa onde vivia uma bruxa muito malvada que tinha uma borbulha na ponta do nariz. O feiticeiro corajoso com a sua cobra ao lado, bateu à porta, mas ninguém lhe abriu a porta. Como ninguém lhe abriu a porta ele entrou e viu um enorme caldeirão com muitas bolhas. A bruxa esperta estava a ver tudo com a sua bola de cristal. Enquanto o feiticeiro observava a casa, a bruxa com a sua vassoura entrou pela chaminé e perguntou ao feiticeiro o que é que ele estava ali a fazer. E o feiticeiro disse:
- Nada! Eu bati à porta e não estava ninguém.
A bruxa como desconfiava disse-lhe:
- Agora tu vais ser transformado num sapo e a tua cobra num pequenino rato.
Então, o feiticeiro ao ouvir aquilo pôs-se a andar para sua casa.
No dia seguinte o feiticeiro olhou-se para o espelho e começou a gritar:
_ AH! AH! AH” Eu sou um sapo e a minha cobra é um pequenino rato!
Então os empregados ao ouvirem aquilo foram ver o que o feiticeiro tinha. Os empregados ao entrarem no quarto do feiticeiro começaram-se a rir de ver o feiticeiro transformado num sapo. Quando o feiticeiro transformado num sapo viu os seus empregados a rirem disse:
- Vocês parecem umas galinhas a cacarejar.
Depois o feiticeiro foi ter com a bruxa. Quando chegou a casa da bruxa viu um papagaio que não parava de dizer:
_ Eu tenho uma bruxa chamada Diana, eu tenho uma bruxa chamada Diana …
O feiticeiro desceu umas escadas que ia dar ao quarto da bruxa.
Ele bateu à porta e a bruxa abriu-a e disse:
- O que é que estás aqui a fazer outra vez? Queres que eu te transforme num porco?
E o feiticeiro disse:
-Eu quero que tu me transformes como eu era dantes!
A bruxa disse-lhe:
-Eu só te transformo como eras dantes se tu fores à floresta arco – íris buscar uma pena de galinha verde.
Então o feiticeiro foi à floresta arco-íris buscar a pena de galinha verde. No dia seguinte a bruxa foi a casa do feiticeiro buscar a pena de galinha verde. Quando o feiticeiro abriu a porta a bruxa perguntou-lhe:
- Onde é que está a pena de galinha verde?
- Aqui tem a pena de galinha verde, dona bruxa.
A bruxa disse-lhe para ir com ela a sua casa. Quando chegaram a bruxa fez a poção para que o feiticeiro voltasse ao normal. Mas quando a bruxa viu que a pena era vermelha, pois o feiticeiro tinha-a enganado. Ela ficou ainda mais furiosa e transformou o feiticeiro num porco. No entanto a bruxa deu-lhe mais uma oportunidade para ir outra vez à floresta arco--íris buscar uma pena de galinha verde. Quando o feiticeiro chegou à floresta arco-íris já tinha escurecido. A noite era muito escura e o feiticeiro estava com medo dos lobos. Mas ele como era corajoso resolveu montar uma tenda para dormir.
No dia seguinte, o feiticeiro continuou viagem para ir buscar uma pena de galinha verde. Ao meio do caminho encontrou um galinheiro onde havia muitas penas de galinhas verdes. O feiticeiro foi logo a correr para lá. Quando apanhou a pena de galinha verde foi logo para casa da bruxa. Quando lá chegou a bruxa inverteu o feitiço e o feiticeiro voltou ao normal. No dia seguinte quando os empregados viram o feiticeiro de volta ao normal fizeram uma grande festa e uma grande jantarada.
Passados dois meses a bruxa e o feiticeiro voltaram-se a encontrar, estavam apaixonados um pelo outro. Quando todos souberam disso ficaram muito contentes. Então a bruxa e o feiticeiro casaram-se, tiveram muitos filhos e viveram felizes para sempre.

Jessica Gomes - 4º ano - EB1 de Arrifana

1 comentários:

Servidores disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Servidor, I hope you enjoy. The address is http://servidor-brasil.blogspot.com. A hug.