quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

SEMPRE DO TEU LADO II

Continuando com a publicação dos trabalhos efectuados nas aulas de Língua Portuguesa pelo 7ºB sobre o livro Sempre do Teu Lado de Maria Teresa Maia Gonzalez, chegou agora a vez de sabermos porque aconselha o Bruno Serafim a leitura da obra.
E, para além das pertinentes razões do Bruno, temos ainda um testemunho do João Baptista sobre uma companheira muito especial (na imagem).

Aconselhavas a leitura do livro Sempre do Teu Lado a um amigo? Porquê?

Eu indicaria a leitura deste livro a um amigo, pois é um livro que transmite a verdadeira amizade.
É também um livro cheio de magia, se for lido com entusiasmo e gosto. É fácil de ler, pequenino e chama a atenção do leitor.
Se a pessoa que o ler tiver um cão, poderá ficar a percebê-lo e criar uma amizade maior entre si e o seu cão. E ainda ver que, realmente, “o cão é o melhor amigo do Homem”.
Por todas as razões que enumerei anteriormente, indicaria este livro a um amigo e tenho a certeza absoluta de que não se iria arrepender!

(Bruno Serafim, n.º 2, 7.º B)

“A Tita”

Tita era o seu nome. Era uma cadela que fazia muitas asneiras em nova, mas também era muito meiga.
Eu tenho essa experiência porque, quando nasci, ela já existia e protegia-me sempre.
Quando eu era pequeno e quando alguém queria ir ao berço onde eu estava, a Tita mordia a quem se aproximasse.
Era muito útil quando eu estava triste, porque ia para ao pé de mim e acariciava-me.
Brincava sempre comigo, bastava eu querer. Estava sempre lá.
Mas com o passar do tempo, foi ficando mais quietinha e já só queria comer e dormir.
Também foi ficando cega e muito paradinha, mas continuava sempre do nosso lado.
Só que, com o passar do tempo, a cadela ficou com alguns problemas e acabou por falecer, para grande pena minha.
Perdi uma amiga. Mas espero que descanse em paz.
Adeus, Tita.

(João Baptista, n.º 10, 7.º B)

2 comentários:

LILIANA BIZARRO disse...

EU PERCEBO O JOAO.PERDER UM CAO É COMO PERDER ALGUEM, FICAMOS MUITO TRISTES PODEMOS TER OUTROS CÃES MAS NUNCA MAIS NOS ESQUEÇAMOS DELE.

Anónimo disse...

Eu gosto muito do teu texto os meus centimentos pela cadela. devia ser uma grande amiga